Tecnologia em nuvem garante proteção de dados no registro mercantil

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Diversos pedidos são encaminhados pelo Portal de Serviços da Junta Comercial do Ceará diariamente, sendo que durante os meses de janeiro e abril de 2022 houve o apontamento de mais de 27 mil casos de atendimento virtual referente a diversos assuntos como lançamento de certidões, realização de cadastros e outros serviços da instituição.

O número alto de processos acontece ainda quando analisado o padrão de abertura de empresas que esteve a 8.168 em abril, o que indica a quantidade de 400 registros por dia. Todas essas informações estão protegidas na memória virtual do Sistema de Registro Mercantil (SRM), localizada na nuvem e com acesso limitado para apenas o time de registro e legalização de empresas e para os especialistas em TI.

A Junta Comercial do Estado do Ceará (Jucec) teve, em 2017, o reconhecimento como a autarquia de registro mercantil pioneira no uso do armazenamento digital de dados. A incorporação da ferramenta trouxe mais proteção, rapidez e solidez para a base de dados referente a movimentação empresarial do Estado, visto que, ao trocar o físico pelo online houve um aprimoramento da entrega dos serviços virtuais.

A intenção da próxima etapa do Convênio Empreendedor Digital é continuar com a conservação e proteção das informações no meio virtual investindo nesse propósito. De acordo com a presidente da Jucec, Carolina Monteiro, “o armazenamento em nuvem é absolutamente imprescindível tanto para a segurança de dados quanto para a otimização dos serviços para quem presta e quem recebe”.

O Convênio Empreendedor Digital pretende contratar o DataGuard, uma espécie de ferramenta que reduz as chances de ataques cibernéticos. Alex Barbosa, consultor técnico do Empreendedor Digital, revela que a conservação dos dados pela nuvem atua com a ajuda de hardware e software instalados em uma instituição especializada.

Segundo Barbosa, “o armazenamento em nuvem oferece à Jucec uma infraestrutura tecnológica remota, dinâmica, flexível e com toda a segurança de tecnologia da informação. Antes, quando a infraestrutura estava alocada num data center (centro de dados) próprio, a Junta Comercial tinha muita dificuldade de manutenção dos seus sistemas”.

Com o uso do Data Guard haverá a proteção do sistema em casos onde esteja ocorrendo uma invasão. Barbosa afirma que, “como a tecnologia é dinâmica e os desafios constantes com os avanços dos ataques e invasões a sistemas públicos e privados, a Jucec está contratando da Etice uma infraestrutura paralela, que funcionará em caso de ataque ou invasão dos seus sistemas. O Dataguard trará segurança de dados e ainda mais garantia da prestação dos serviços da Jucec aos empresários cearenses”.

Rastreamento

Etice – Empresa de Tecnologia da Informação do Ceará – fornece o armazenamento de dados em nuvem para um conglomerado que engloba nove Juntas Comerciais no país. Uma das formas de segurança mais implementadas para defender o sistema remoto é a o instrumento que possibilita o rastreamento do tráfego.

A PhD em Comunicação e Estudos de Mídia e Analista de Governança e Comunicação da Etice, Katia Arruda, detalha um dos planejamentos de proteção usados. “A tecnologia de “cloud firewalls” forma uma espécie de barreira virtual, hospedada em nuvem, para infraestruturas, aplicativos, plataformas e servidores online. Dessa forma, elas garantem, em qualquer lugar que o usuário esteja, uma maior segurança para acessar tais informações e serviços. Isso porque permitem filtrar o tráfego que poderia vir a ser prejudicial para a rede”, destaca.

Fonte: Governo do Estado do Ceará

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *