EUA anuncia fechamento de mercado digital que vendia dados pessoais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Nesta terça-feira (7), o governo dos Estados Unidos anunciou o fechamento do SSNDOB, um dos principais mercados de vendas de dados pessoais atuantes na superfície da web. 

Segundo informações das autoridades, dados de pelo menos 24 milhões de americanos estavam à venda por lá. A operação cibercriminosa teria gerado lucros de aproximadamente US$ 19 milhões (R$ 92,6 milhões) aos responsáveis pelo marketplace.

Entre as principais entradas disponíveis no espaço estavam nomes completos, números de documentos e datas de nascimento. O banco de dados eram provenientes de exposições de informações em empresas ou órgãos públicos, sendo o setor da saúde o principal. A comercialização acontecia em blocos ou conjuntos a partir de US$ 0,50 (cerca de R$ 2,43), um valor extremamente baixo e que deixa os cidadãos vulneráveis novamente, correndo o risco de golpes ou roubo de identidade, por exemplo. 

Leia também: PEC que visa inserir a inclusão digital nas garantias fundamentais é aprovada pelo Senado

Em meio aos volumes disponibilizados no SSNDOB, apareciam também cidadãos do Reino Unido, mas de acordo com o governo dos EUA, o principal negócio era a venda de dados de americanos. 

O marketplace operava a partir de quatro domínios que foram apreendidos em uma operação conjunta entre o FBI e os departamentos do Tesouro e Justiça do país, contando com a colaboração de autoridades do Chipre. No entanto, os nomes dos responsáveis  envolvidos não foram divulgados. 

Ainda, os analistas traçaram uma relação entre o mercado fechado nesta semana e o Joker’s Stash, outro marketplace de dados pessoais na dark web que encerrou suas atividades em janeiro de 2021 para escapar de investigações oficiais. Com base em transações de centenas de milhares de dólares em criptomoedas, a ideia é que os responsáveis pelo SSNDOB  tinham alguma relação de parceria com os criminosos, diretamente ou apenas na compra de informações vazadas em um espaço para revenda em outro. 

Fonte: CanalTech

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *